Aprendi que sou um doente – Episódio 12

20140608-104431-38671762.jpg

Neste episódio, o psicólogo clínico Alexandre Costa e Silva conta uma história sobre como o autismo é uma deficiência e, ao mesmo tempo, um modo de ser completo.

Links do episódio

O que este menino faz neste auditório? – Episódio 11

20140601-100955-36595015.jpg

No décimo primeiro episódio do Autismo Brasil Podcast, Alexandre Costa conta uma de suas histórias sobre a Casa da Esperança. De como Jorge, um garoto com dificuldades de comunicação foi para o Congresso Nacional de Autismo em 1997 em Brasília, falar por si mesmo, em um ambiente onde apenas se falava dele…

Mídia Social e A Relação Terapeuta-Paciente no século XXI – Episódio 10

Palestra proferida na Jornada do Núcleo Cearense de Psiquiatria na ultima sexta-feira, dia 23/05/2014, pelo psicólogo, Psicoterapeuta e entusiasta de tecnologia Alexandre Costa e Silva.

O vídeo da apresentação será linkado aqui tão logo esteja disponível.

Atualização: veja o vídeo abaixo:

No país das maravilhas – episódio 006

20140504-002822.jpg

Neste episódio, Alexandre Costa, Psicólogo, Psicoterapeuta e Diretor Técnico da Casa da Esperança fala sobre suas primeiras experiências com o autismo, há mais de 20 anos. Conheça mais sobre o trabalho da Casa da Esperança visitando o site http://autismobrasil.org.

Desmodulação Sensorial no Autismo – Segunda Parte – Episódio 005

20140429-192746.jpg

Desmodulação Sensorial no Autismo

Desmodulação sensorial

  • Auditiva
  • Gustativa
  • Visual
  • Táctil
  • Olfativa
  • Proprioceptiva
  • Vestibular

Definições:

  • Propriocepção (Fibras medulares)
  • Senso de Equilíbrio (Aparelho vestibular)

Auditiva

  • Ex.: Põe os dedos nos ouvidos
  • Ex.: Entra em pânico com ruídos súbitos
  • Ex.: Perturba-se com ruídos ambientais que não incomodam as outras pessoas

Gustativa

  • Seletividade Alimentar
    • Forma
    • Textura
    • Intensidade do sabor
    • Cor (interseção com visual)
  • Põe substâncias e objetos não comestíveis na boca

Visual

  • Aperta os olhos (em caretas descontextualizadas)
  • Olha de soslaio (com o ‘canto do olho’)
  • Perturba-se com luzes fluorescentes (parecem-lhe estroboscópicas)

Táctil

  • Não gosta de toques leves (parecem-lhe arranhões)
  • Gosta de toques vigorosos, e mordidas (morde-se a si mesmo, ou solicita que outros o façam)

Olfativa

  • Cheira objetos que não são de comer
  • Reação exagerada a certos odores fortes (como fumaça de cigarro)

Proprioceptiva

  • Bate em si mesmo (no tronco e nos membros)
  • Gosta de ficar submerso em água
  • Gosta de pressão sobre o corpo
  • Gosta de lugares apertados

Vestibular

  • Bate em si mesmo (na cabeça)
  • Balanceio de tronco
  • Gosta de pula-pula
  • Insegurança gravitacional (medo de andar, elevador, escada rolante e outras plataformas móveis)
  • Gosta de balanço

A solução correta

  • Uma solução para cada problema
  • Determinação do perfil sensorial do paciente
  • Análise funcional do comportamento

Conclusão

  • Um terapeuta deve ser veículo para o desenvolvimento de conduta saudável seus pacientes, não obstáculo à sua conduta disruptiva.

Desmodulação Sensorial no Autismo – Pimeira Parte – Episódio 004

20140429-192713.jpg

Tópicos Abordados

Modulação Sensorial e seus Desvios

  • Atividade elétrica basal de circuitos de processamento das sensações
  • Potencial de repouso/Potencial de Ação
  • O “Ruído do Silêncio”
  • O ambiente como indutor de harmonia ou desarmonia: Ruído branco multimodal

Comportamento Disruptivo e Desafiador no Autismo – Terceira Parte – Episódio 003

20140428-231455.jpg

Tópicos Abordados:

Consequências da punição

  • Rápida supressão do comportamento punido
  • Reforçamento positivo — “O único que resolveu o problema”
  • Em alta freqüência no repertório do terapeuta: Uma solução para todos os problemas
  • Se torna um comportamento “especializado” por parte do terapeuta

Interpretações Corretas

  • Dor
  • Frustração (Baixo Limiar de)
  • Desmodulação sensorial

Frustração (Baixo Limiar de)

  • Porque não consegue se comunicar
  • Porque quer algo que não pode ter
  • Porque ouviu um “não”